Sistema de compra em grupo (site, consumidores e comerciantes): um panorama atual do contexto brasileiro

Authors

  • Thyago Carvalho Marques
  • Adriano César Santana

DOI:

https://doi.org/10.46814/lajdv5n3-003

Keywords:

comércio eletrônico, e-business, compras coletivas, consumidor, empresário

Abstract

Os avanços na tecnologia da informação afetam as formas de estabelecer relações comerciais em todo o mundo. A facilidade de compra e venda pela Internet gerou um novo modelo de negócios denominado comércio eletrônico. Junto com este modelo tivemos a oportunidade de realizar negócios, que engloba muito mais do que simplesmente um modelo de compra e venda denominado e-business que tem atraído empreendedores com ideias inovadoras que revolucionam o mundo dos negócios. Este artigo tem como objetivo compreender o sistema de compras coletivas analisando seus principais participantes: os sites de compras coletivas, seus consumidores e comerciantes, além de uma revisão das principais figuras do cenário brasileiro. As compras coletivas tornaram-se um mercado promissor e em constante expansão, pois utilizam o universo virtual para publicar negócios que chegam a 90% de desconto, onde os comerciantes têm a oportunidade de divulgar seus produtos e serviços e assim fidelizar e engajar um maior número de clientes e eles por sua vez, têm a oportunidade de conhecer novos produtos e serviços por um preço melhor do que se praticados nos centros comerciais tradicionais. Porém, o cenário não é dos mais otimistas, algumas empresas que estão consolidadas neste segmento, como é o caso do Groupon, que é a empresa que mais cresce na história, quebrando a barreira de vendas de US$ 1 bilhão de dólares em apenas dois anos de existência. No Brasil dos 1.963 sites com atividades para compras coletivas, apenas 61% ainda permanecem ativos, 17% inativos, 11% são carteira de clientes, 6% já estão prejudicados e 5% estão desativados.

References

Group (2011). Aquisições e fusões em compras coletivas crescem 700% em 2011. Disponível em: <http://www.bolsadeofertas.com.br/aquisicoes-e-fusoes-em-compra-coletiva-crescem-700-em-2011/>. Acesso em: 15/OUT/2011.

ALBERTIN, Alberto L. Comércio eletrônico: modelo, aspectos e contribuições de sua aplicação. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2000.

Bolsa de Ofertas (2011). Brasil tem quase 2000 sites de compras coletivas. Disponível em: <http://www.bolsadeofertas.com.br/brasil-tem-1963-sites-voltados-para-compras-coletivas/>. Acesso em: 10/NOV/2011.

Business Insider (2011). The 100 Most Valuable Startups In The World, Revamped And Revised! Disponível em: <http://www.businessinsider.com/2011-digital-100> Acesso em: 01/OUT/2011.

CARDOSO, A. P. (2010). Compras coletivas: a nova febre de consumo da internet. Disponível em: < http://oglobo.globo.com/economia/mat/2010/07/20/compras-coletivas-nova-febre-de-consumo-da-internet-917192270.asp>. Acesso em: 20/SET/2011.

Clube do Script. Disponível em: <http://reidoscript.com/scripts-php/script-de-compra-coletiva>. Acesso em 09/NOV/2011

CRUZ, L. (2011). Lançado site de compras coletivas específico para a indústria. Disponível em: <http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=compras-coletivas-industria&id=010175110527>. Acesso em: 21/NOV/11.

FELIPINI, D. (2011). Compra Coletiva e o Consumidor. Disponível em: <http://e-commerce.org.br/artigos/compra-coletiva-consumidor.php> Acesso em: 19/OUT/2011.

FELIPINI, D. (2011). Razões para o sucesso da compra coletiva. Disponível em: <http://e-commerce.org.br/artigos/compra-coletiva-sucesso.php> Acesso em: 10/OUT/2011.

FELIPINI, D. (2011). A consolidação do mercado de compra coletiva. Disponível em: <http://www.e-commerce.org.br/artigos/compra-coletiva-consolidacao.php>. Acesso em: 27/SET/2011.

FUSCO, Camila. Mais de 20% dos sites de compras coletivas já saíram do ar, Folha de São Paulo, São Paulo, SP, 02/05/2011.

GALO, B. (2010). “Mantenha as coisas simples”, diz fundador do Groupon. Disponível em: <http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/36629_MANTENHA+AS+COISAS+SIMPLES+DIZ+FUNDADOR+DO+GROUPON>. Acesso em: 01/OUT/2011.

Group Script. Disponível em: < http://groupscript.net/>. Acesso em: 09/NOV/2011.

GHIURGHI, F. (2011). Sites de compras coletivas se tornam negócio promissor e dão início a uma nova modalidade de consumo. Disponível em: <http://carreiraenegocios.uol.com.br/gestao-motivacao/31/artigo215373-1.asp>. Acesso em: 20/OUT/2011.

IBOPE Media, Noticias, Internet. Sites de compra coletivas crescem e hoje são mais acessados por homens. Disponível em: <http://www.ibope.com.br/calandraWeb/servlet/CalandraRedirect?temp=5&proj=PortalIBOPE&pub=T&db=caldb&comp=Internet&docid=DA06ACDDC03F931383257922003D845C>. Acesso em: 19/OUT/2011.

IBOPE Nielsen Online (2011). Mais internautas em casa. Disponível em: <http://www.ibope.com.br/calandraWeb/servlet/CalandraRedirect?temp=5&proj=PortalIBOPE&pub=T&db=caldb&comp=IBOPE+Nielsen+Online&docid=43274B1C04F2DCD68325788100455EBA>. Acesso em: 01/OUT/2011.

IBOPE Nielsen Online – Alamanaque IBOPE – Perquisas de Mídia, Mercado e Opinião. Internet Release – Setembro 2011.

KALAKOTA, R.; WINSTON, A. Electronic commerce: a manager’s guide. New York: Addison-Wesley, 1997.

MORAIS, F. Quem são os e-consumidores? Disponível em: <http://imasters.com.br/artigo/20096/dotnet/quem-sao-os-e-consumidores> Acesso em: 19/OUT/2011.

MOREIRA, D. (2010). O que é uma startup? Disponível em: <http://exame.abril.com.br/pme/dicas-de-especialista/noticias/o-que-e-uma-startup>. Acesso em: 15/OUT/2011.

ROSEMAN, E. (2011). Butcher sold 21,000 coupons, can’t meet demand. Disponível em: <http://www.thestar.com/article/1016344--roseman-butcher-sold-21-000-coupons-can-t-meet-demand>. Acesso em: 08/11/2011.

STEINER, C. (2010). Meet the Fastest Growing Company Ever. Forbes Magazine. Disponível em: <http://www.forbes.com/forbes/2010/0830/entrepreneurs-groupon-facebook-twitter-next-web-phenom_3.html>. Acesso em: 15/SET/2011.

STOCK, S. Group buying sites spring up. News & Observer, The (Raleigh, NC), 13 março de 2010. Disponível em: <http://www.newsobserver.com/2010/03/13/386090/group-buying-sites-spring-up.html>. Acesso em: 07/NOV/2011.

TURBAN, Efraim, et al. (2000). “Eletronic Commerce a Managerial Perspective”, New Jersey, Prentice-Hall Inc.

UOL Economia (2011). Número de internautas nos sites de compras coletivas crescem 30% em março. Disponível em: <http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2011/05/06/numero-internautas-nos-sites-de-compra-coletivas-cresce-30-em-marco.jhtm>. Acesso em: 20/SET/2011.

VALLE, A. (2010). Quanto custa montar um site de compras coletivas. Disponível em: <http://ecommercenews.com.br/artigos/tutoriais/quanto-custa-montar-um-site-de-compras-coletivas>. Acesso em: 15/OUT/2011.

WEBSHOPPERS/EBIT (2011) – Relatório de Informações E-commerce Brasileiro – 24ª Edição – São Paulo – SP.

Downloads

Published

2023-12-12

How to Cite

MARQUES, T. C.; SANTANA, A. C. Sistema de compra em grupo (site, consumidores e comerciantes): um panorama atual do contexto brasileiro. Latin American Journal of Development, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 911–927, 2023. DOI: 10.46814/lajdv5n3-003. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/jdev/article/view/1488. Acesso em: 25 jun. 2024.
<br data-mce-bogus="1"> <br data-mce-bogus="1">