Utilização da periodização ATR em equipe de voleibol feminino de base: um estudo de caso

Use of ATR periodization on a young female volleyball team: a case study

Authors

  • Alexandre Joanella
  • Rodrigo Lara Rother

DOI:

https://doi.org/10.46814/lajdv4n4-012

Keywords:

periodização, atletas, desempenho

Abstract

O voleibol é um dos esportes de maior destaque no Brasil, sendo assim, bons resultados competitivos trazem destaque para a qualidade do trabalho realizado. Neste cenário, planejar e executar uma periodização bem estruturada é um dos caminhos para o sucesso. Dentre as várias opções de abordagem da periodização está o modelo de Acumulação, Transformação, Realização – ATR. O objetivo deste estudo é descrever a aplicação de uma periodização ATR em uma equipe de voleibol feminino de base e avaliar os resultados obtidos na preparação física das atletas desta equipe. Para tanto, foi entrevistada a comissão técnica e utilizadas avaliações antropométricas e de desempenho motor (testes de salto e de repetição máxima) contidas no banco de dados da equipe. Após seis semanas de aplicação do treinamento foram observadas melhoras significativas na força muscular nos membros inferiores (p<0,001) e aumento da impulsão (p=0,002). Já na composição corporal, não foram encontradas diferenças significativas. Conclui-se que a aplicação de um modelo ATR de seis semanas é uma alternativa viável para aumento do desempenho num curto espaço de tempo.

References

Afonso, R.; Pinheiro, V. (2011). Modelos de periodização convencionais e contemporâneos. Educación Física y Deportes, Revista digital, Nº 159.

Bompa, T. O. (2002). Periodização: teoria e metodologia do treinamento. 1ª ed. São Paulo: Phorte Editora.

Borsari, J. R. (2001) Voleibol, Aprendizagem e Treinamento. 3. ed. EPU, São Paulo.

Carvalho, C.; Carvalho, A. (2006) Não se deve identificar força explosiva com potência, ainda que existam algumas relações entre ambas. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. V.6 n.2, p. 241-248.

Cassidori Júnior, J.; Silva, J.J. (2020) Treinamento Esportivo. Intersaberes, Curitiba.

Cyrino, E. S.; Altimari, L. R.; Okano, A. H.; Coelho, C. F. (2002) Efeitos do treinamento de futsal sobre a composição corporal e o desempenho motor de jovens atletas. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. v. 10. n. 1. p. 41-46.

Da Silva-Grigoletto, M. E.; Gómez-Puerto, J. R.; Viana-Montaner, B. H.; Beas-Jiménez, J. B.; Centeno Prada, R.; Melero, C.; Vaamonde, D.; Ugrinowitsch, C.; García-Manso, J. M. (2008). Efecto de un mesociclo de fuerza máxima sobre la fuerza, potencia y capacidad de salto en un equipo de voleibol de superliga. Revista Andaluza de Medicina del Deporte. v. 1(2) p. 51-56

Dantas, E. H. M. (2003). Periodização do treinamento. A prática da preparação física. Rio de Janeiro: Editora Shape.

Dantas, E. H. M.; Godoy, E. S.; Sposito-Araujo, C. A.; Oliveira, A. L.B.; Azevedo, R. C.; Tubino, M. J. G. (2011) Adequabilidade dos principais modelos de periodização do treinamento esportivo. Revista Brasileira de Ciência do Esporte. V. 33. N. 2. P.483-494.

Dias, R. M. R.; Cyrino, E. S.; Salvador, E. P.; Nakamura, F. Y.; Pina, F. L. C.; Oliveira, A. R. (2005) Impacto de oito semanas de treinamento com pesos sobre a força muscular de homens e mulheres. Revista Brasileira Medicina do Esporte. V.11. n. 4, p. 224-228.

Farto, E. R. (2002). Estrutura e planificação do treinamento desportivo. Educación Física y Deportes, Revista digital. Ano 8. N. 48.

Faulkner, J.A. (1968). Physiology of swimming and diving. In H. FALLS. (Ed.) Exercise physiology. Baltimore, Academic Press.

Fleck, S. J.; Kraemer, W. J. (2006). Fundamentos do treinamento de força muscular. 3. ed. Porto Alegre: Artmed.

Federação Internacional de Voleibol (FIVB), https://www.fivb.com/en/volleyball/rankings, acesso em 01/10/2020.

Gomes, A. C. (2009). Treinamento desportivo: Estruturação e periodização. 2. ed. Porto Alegre: Artmed.

Issurin, V. B. (2016). Benefits and Limitations of Block Periodized Training Approaches to Athletes’ Preparation: A Review. Sports Med. v. 46(3), p. 329–338.

Junior N. K. M. (2020). Periodization models used in the current sport. MOJ Sports Med. v. 4(2), p. 27‒34.

Junior N. K. M. (2020) Specific periodization for the volleyball: the importance of the residual training effects. MOJ Sports Med. v. 4(1), p. 4‒11.

Kilic, O.; Maas, M.; Verhagen, E.; Zwerver, J.; Gouttebarge, V. (2017). Incidence, aetiology and prevention of musculoskeletal injuries in volleyball: A systematic review of the literature, European Journal of Sport Science. p. 765-793.

Lamas, L.; Drezner, R.; Tricoli, V.; Ugrinowitsch, C. (2008). Efeito de dois métodos de treinamento no desenvolvimento da força máxima e da potência muscular de membros inferiores. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. v. 22. n. 3, p. 235-245.

Lombardi, G.; Vieira, N. S.; Detanico, D. (2011). Efeito de dois tipos de treinamento de potência no desempenho do salto vertical em atletas de voleibol. Brazilian Journal of Biomotricity, v.5. n.4.p. 230-238.

Markovic, G.; Jukic, I.; Milanovic, D.; Metikos, D. (2007) Effects of sprint and plyometric training on muscle function and athletic performance. Journal of Strength and Conditioning Research. v. 22. n. 2. p. 543-549.

Marques, M. A. C.; González-Badillo, J. J. (2005). O efeito do treino de força sobre o salto vertical em jogadores de basquetebol de 10-13 anos de idade. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. v. 13. n. 3, p. 7-15.

Paschoalino, M. C.; Speretta, G. F. F. (2011). Características da periodização em esportes coletivos: revisão crítica. Revista Hórus, v.5. n.3. p. 46-63.

Pereira, B.; Venturim, F.; Miglinas, L. (2009). A prática metodológica de periodização utilizada no treinamento por técnicos da categoria juvenil da natação competitiva brasileira. Educación Física y Deportes, Revista digital. Ano 14. N.139.

Sequeiros, J. L. S.; Castanhede, D.; Oliveira, A. L. B.; Dantas, E. H. M. (2005). Estudo sobre a Fundamentação do Modelo de Periodização de Tudor Bompa do Treinamento Desportivo. Fitness & Performance Journal, v. 4, n. 6, p. 341-347.

Stojanović, E.; Ristić, V.; Mcmaster, D. T.; Milanović, Z. (2016). Effect of Plyometric Training on Vertical Jump Performance in Female Athletes: A Systematic Review and Meta-Analysis. Sports Medicine, v. 47, p. 975-986.

Tavares, A. C. Jr. (2014). A formação profissional e a aplicação de dos modelos de periodização do treinamento desportivo, por treinadores de judô de elite. Monografia, Rio Claro.

Tubino, M. J. G.; Moreira, S. B. (2003) Metodologia Científica do Treinamento Desportivo. 13. ed. Rio de Janeiro: Editora Shape.

Villarreal, E. S.; Requena, B.; Newton, R. U. (2010). Does plyometric training improve strength performance? A meta-analysis. Journal of Science and Medicine in Sport. v. 13. p. 513-522.

Published

2022-08-11

How to Cite

JOANELLA, A. .; ROTHER, R. L. . Utilização da periodização ATR em equipe de voleibol feminino de base: um estudo de caso: Use of ATR periodization on a young female volleyball team: a case study. Latin American Journal of Development, [S. l.], v. 4, n. 4, p. 1490–1502, 2022. DOI: 10.46814/lajdv4n4-012. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/jdev/article/view/1136. Acesso em: 25 jun. 2024.
<br data-mce-bogus="1"> <br data-mce-bogus="1">