A conscientização dá o tom: experiência vivenciada

Authors

  • Geovanna Porto Inácio
  • Jordanna Porto Inácio
  • Geovanny Martins Ribeiro Mota
  • Allana Gilmara Pires Gomes
  • Rayane Morais Costa
  • Carolinny Crunivel Maia

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv2n2-001

Keywords:

prevenção, câncer de mama, saúde da família, atenção primária

Abstract

O Brasil enfrenta muitos desafios na execução do modelo universal de saúde, e um dos maiores é a operacionalização dos Programas da Saúde da Família, com a escassez de médicos com formação adequada para atuarem como generalistas. A Atenção Primária é um cenário de ensino importante para correlação teoria e prática na perspectiva da formação do profissional médico.  Uma equipe formada na Unidade Básica de Saúde (UBS) pode aproximar as pessoas, tanto os profissionais, como os pacientes, e tornar impar a experiência de se trabalhar com educação em saúde (MELO, 2009; SOUZA SILVA et al. 2011; COELHO et al, 2011; SANTOS et al 2014).

 Diversas políticas e programas foram desenvolvidos para melhorar a assistência, principalmente à saúde da mulher, onde a figura feminina, antes vista como simples reprodutora, limitava as consultas médicas a casos voltados a gestação e procriação, começaram a serem desmistificada a partir da midiática difusão de informações sobre prevenção, diagnóstico e tratamento de muitas doenças.  O câncer de mama (CM) é uma delas, considerado, atualmente, um problema de saúde pública devido a sua crescente incidência e índices de letalidade (COELHO, 2010; SOUZA et al. 2015; ROMERO et al 2017).

Para a população feminina essa doença é temida por gerar diversas consequências temporárias ou permanentes na vida da mulher, já que os tratamentos, na maior parte das vezes, são agressivos, com graves sequelas físicas que afetam a sexualidade, os relacionamentos, a autoimagem corporal e muitas outras crenças e valores. Em 2010, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) implantou ao SUS, o movimento Outubro Rosa que visa chamar a atenção da população a respeito do câncer de mama em âmbito mundial, e o principal objetivo é detectar precocemente para tentar diminuir a mortalidade em decorrência dessa neoplasia (BRASIL, 2010; COELHO, 2010; COUTO et al 2017; ALMEIDA et al 2020).

A conscientização da população sobre o câncer e o estímulo as mudanças de comportamento são ações fundamentais para a prevenção primária dessa doença. As ações educativas em saúde podem preparar a população com a construção de novos conhecimentos, propiciando uma prática consciente de comportamentos preventivos (ALMEIDA et al 2020).

Published

2021-05-04

How to Cite

INÁCIO, G. P. .; INÁCIO, J. P. .; MOTA , G. M. R. .; GOMES, A. G. P. .; COSTA , R. M. .; MAIA , C. C. . A conscientização dá o tom: experiência vivenciada. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 149–153, 2021. DOI: 10.46919/archv2n2-001. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/245. Acesso em: 23 feb. 2024.

Most read articles by the same author(s)