Remifentanil na prática clínica: revisão

Authors

  • Michelle Dayane Antunes de Almeida
  • Barbara Varussa Cardoso
  • Rafael Silva Dantas

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv5n3espec-064

Keywords:

remifentanil, anestesia, analgesia, opioides, terapia intensiva

Abstract

Introdução: O remifentanil é um opioide sintético utilizado na prática anestésica devido às suas propriedades farmacocinéticas favoráveis, como a rápida metabolização e a meia-vida curta. Este estudo visa revisar a eficácia, as indicações, os efeitos adversos e as considerações econômicas do uso de remifentanil em contextos clínicos. Materiais, sujeitos e métodos: Para a elaboração deste artigo de revisão foram utilizados os bancos de dados eletrônicos PubMed, SciELO e Cochrane, buscando por artigos científicos, revisões sistemáticas e meta-análises datadas entre fevereiro de 2004 e junho de 2020. A pesquisa foi realizada utilizando o termo "Remifentanil in clinical practice". Resultados e discussão: O remifentanil se destaca como o opioide de escolha dos anestesistas para infusões venosas contínuas devido à sua duração curta de efeito e recuperação rápida, mesmo após infusões prolongadas. A dose recomendada é de um bolus de 1 µg/kg via endovenosa, seguido por uma infusão de 0,5 µg/kg/min, ajustada conforme o procedimento. No entanto, seu uso em terapia intensiva ainda carece de evidências robustas para garantir sua segurança. Considerações finais: O remifentanil é uma ferramenta valiosa no manejo da dor aguda, proporcionando controle preciso da analgesia e facilitando a recuperação pós-cirúrgica. Entretanto, seus custos elevados e a necessidade de analgesia complementar devem ser considerados. A contínua pesquisa e monitorização são essenciais para otimizar seu uso clínico.

References

BERARDI, G. et al. Combined spinal and epidural anesthesia for open abdominal aortic aneurysm surgery in vigil patients with severe chronic obstructive pulmonary disease ineligible for endovascular aneurysm repair. Analysis of results and description of the technique. International Angiology, v. 29, n. 3, p. 278, 2010.

CRUZ, J. Remifentanil na prática clínica. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 54, n. 1, p. 114-128, fev. 2004.

EDWARDS, M. S. et al. Results of endovascular aortic aneurysm repair with general, regional, and local/monitored anesthesia care in the American College of Surgeons National Surgical Quality Improvement Program database. Journal of Vascular Surgery, v. 54, n. 5, p. 1273-1282, 2011. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jvs.2011.04.054

GAJNIAK, D. et al. Effect of lidocaine on intraoperative blood pressure variability in patients undergoing major vascular surgery. BMC Anesthesiology, v. 24, n. 1, p. 170, 2024. DOI: https://doi.org/10.1186/s12871-024-02550-5

GOLDSTEIN, L. J. et al. Endovascular aneurysm repair in nonagenarians is safe and effective. Journal of Vascular Surgery, v. 52, n. 5, p. 1140-1146, 2010. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jvs.2010.06.076

KRANKE, P. Patient-controlled analgesia with remifentanil versus alternative parenteral methods for pain management in labour. Disponível em: https://www.cochranelibrary.com. Acesso em: 30 maio 2024.

LEAL, P. H.R.; GUIMARAES, H. P.; IVO, R. Sedação em medicina intensiva: uso de remifentanil na prática clínica. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 18, junho de 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-507X2006000200012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-507X2006000200012

LICKER, M. et al. Impact of anesthesia technique on the incidence of major complications after open aortic abdominal surgery: a cohort study. Journal of Clinical Anesthesia, v. 25, n. 4, p. 296-308, 2013. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclinane.2013.01.009

SNEYD, R. Potential responses to remifentanil supply shortages. British Journal of Anaesthesia, v. 129, n. 5, p. 649-651, 2024. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bja.2022.08.001

SERVIN, F.S.; BILLARD, V. Remifentanil and Other Opioids. Handbook of Experimental Pharmacology, v. 182, p. 289-312, 2008.

VIDEIRA, R. L.R.; CRUZ, J. R.S. Remifentanil na prática clínica. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 54, n. 1, p. 114-128, fev. 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-70942004000100016. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-70942004000100016

Published

2024-07-10

How to Cite

ALMEIDA, M. D. A. de; CARDOSO, B. V.; DANTAS, R. S. Remifentanil na prática clínica: revisão. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 5, n. 3, p. e1736, 2024. DOI: 10.46919/archv5n3espec-064. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1736. Acesso em: 12 jul. 2024.

Most read articles by the same author(s)