Epidemiologia da parada cardíaca perioperatória e mortalidade no Brasil: uma revisão sistemática

Authors

  • Bruna Postal Oliveira
  • Mateus Biola Melo Pereira
  • Rafael Barcelos Lima Cardoso

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv5n3espec-059

Keywords:

parada cardíaca perioperatória, epidemiologia, mortalidade

Abstract

A parada cardíaca perioperatória é uma complicação grave que desafia a prática médica, resultando em morbidade e mortalidade significativas. Este estudo teve como objetivo central examinar a incidência, fatores de risco, desfechos e mortalidade associados a essa condição no contexto brasileiro. Para isso, uma revisão sistemática foi conduzida, envolvendo a busca e análise de estudos epidemiológicos publicados sobre o tema. Os critérios de inclusão foram aplicados para selecionar os estudos pertinentes, que foram avaliados quanto à sua qualidade e relevância. Os resultados obtidos proporcionaram uma compreensão mais aprofundada da epidemiologia da parada cardíaca perioperatória no Brasil, incluindo tendências temporais, fatores de risco identificados e desfechos clínicos associados. Esses achados têm implicações importantes para a prática clínica e a formulação de políticas de saúde, visando melhorar a prevenção, o diagnóstico e o manejo dessa complicação crítica durante procedimentos cirúrgicos, com o objetivo último de promover melhores resultados e qualidade de vida para os pacientes.

References

BRAZ, L. G. et al. Epidemiologia de parada cardíaca e de mortalidade perioperatória no Brasil: revisão sistemática. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 70, p. 82-89, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bjan.2020.02.004

CARLUCCI, M. T. de O. O trauma como causa de parada cardíaca e de mortalidade perioperatória: revisão sistemática de estudos observacionais. 2020. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/server/api/core/bitstreams/af33c2a7-46e8-44f3-b8ab-d56e70ea53fa/content. Acesso em: 11 jun. 2024.

CORDEIRO, A. M. et al. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 34, p. 428-431, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-69912007000600012

DAHER, M. et al. Parada cardíaca súbita em anestesia geral como a primeira manifestação da origem anômala de artéria coronária esquerda. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 62, p. 881-884, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-70942012000600013

ERCOLE, F. Falci; DE MELO, Laís Samara; ALCOFORADO, Carla Lúcia Goulart Constant. Revisão integrativa versus revisão sistemática. REME-Revista Mineira de Enfermagem, v. 18, n. 1, 2014. DOI: https://doi.org/10.5935/1415-2762.20140001

MÓDOLO, M. P. Parada cardíaca e mortalidade no período perioperatório e também parada cardíaca e mortalidade por fator anestésico em um país em desenvolvimento: revisão sistemática com metanálise proporcional. 2020.

TELES FILHO, A. A. M.; DE CASTRO, M. E. P. C. Perfil epidemiológico das principais drogas e substâncias relacionadas à etiologia da Anafilaxia Perioperatória no Brasil e no Mundo: uma revisão literária. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 3, p. 10695-10716, 2021. DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-087

VANE, M. F. et al. Parada cardíaca perioperatória: uma análise evolutiva da incidência de parada cardíaca intraoperatória em centros terciários no Brasil. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 66, p. 176-182, 2016. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bjan.2016.01.001

VITOR, M. E. B. et al. Parada cardíaca perioperatória: Epidemiologia e mortalidade Perioperatory heart arrest: Epidemiology and mortality. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 10, p. 98573-98576, 2021. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-262

Published

2024-07-10

How to Cite

OLIVEIRA, B. P.; PEREIRA, M. B. M.; CARDOSO, R. B. L. Epidemiologia da parada cardíaca perioperatória e mortalidade no Brasil: uma revisão sistemática. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 5, n. 3, p. e1731, 2024. DOI: 10.46919/archv5n3espec-059. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1731. Acesso em: 12 jul. 2024.