Uso de probióticos na prevenção de infecções vaginais: uma revisão de literatura

Authors

  • Carolina Pinto Barony
  • Maria Angélica Sampaio Herculano
  • Vitória Carolynna Rezende Souza
  • Dannyelle Karolayne Fernandes de Lima
  • Izabela Mello Gomes dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv5n3espec-035

Keywords:

probióticos, vaginose, microbioma, microbiota, terapia

Abstract

Introdução: A suplementação de probióticos tem sido cada vez mais utilizada no tratamento de desregulações intestinais, entretanto, no tratamento e prevenção de infecções vaginais, há poucos estudos avaliando os benefícios desta intervenção. Os resultados mostram uma melhora na manutenção da microbiota vaginal, cursando com melhora de algumas sintomatologias e na saúde vaginal. Este artigo tem como objetivo uma revisão da literatura atual sobre a utilização dos probióticos na prevenção de infecções vaginais. Materiais, Sujeitos e Métodos: Para a elaboração deste artigo de revisão, foram consultados artigos científicos e artigos de revisão publicados e referenciados na Medline/PubMED, SciELO, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Web of Science e Cochrane entre o período de 2019 a 2024. Resultados e Discussão: Evidências mostram que os probióticos possuem benefícios na microbiota vaginal da mulher, atuando na prevenção e tratamento de afecções, como as vulvovaginites, principalmente quando associados aos tratamentos farmacológicos com antimicrobianos. Todavia, ainda são necessários mais estudos para avaliar os benefícios dessa intervenção. Considerações Finais: A suplementação de probióticos demonstrou-se benéfica no tratamento de disbiose, favorecendo um restabelecimento da microbiota e diminuindo os sintomas de prurido, odor fétido e corrimento vaginal. As principais infecções que evidenciam melhora na microbiota foram HPV, candidíase, vaginose bacteriana e tricomoníase. Entretanto, não há estudos que evidenciem o uso isolado no tratamento de uma afecção específica, somente como forma de prevenção ou para minimizar os sintomas e recorrências.

References

AFRICA, C. W. J.; NEL, J.; STEMMET, M. Anaerobes and Bacterial Vaginosis in Pregnancy: Virulence Factors Contributing to Vaginal Colonisation. Int. J. Environ. Res. Public Health, v. 11, p. 6979-7000, 2014. DOI: 10.3390/ijerph110706979. Acesso em: 24 mai. 2024. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph110706979

ANUKAM, K.; OSAZUWA, E.; AHONKHAI, I. et al. Augmentation of antimicrobial metronidazole therapy of bacterial vaginosis with oral probiotic Lactobacillus rhamnosus GR-1 and Lactobacillus reuteri RC-14: randomized, double-blind, placebo controlled trial. Microbes Infect., v. 8, p. 1450-1454, 2006. DOI: https://doi.org/10.1016/j.micinf.2006.01.003

CHEN, C.; HAO, L.; ZHANG, Z.; TIAN, L.; ZHANG, X.; ZHU, J. et al. Cervicovaginal microbiome dynamics after taking oral probiotics. Journal of Genetic and Genomics, v. 48, p. 716-726, 2021. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jgg.2021.03.019

CHIENG, W. K.; ABDUL JALAL, M. I.; BEDI, J. S.; ZAINUDDIN, A. A.; MOKHTAR, M. H.; ABU, M. A. et al. Probiotics, a promising therapy to reduce the recurrence of bacterial vaginosis in women? a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Front. Nutr., v. 9, p. 938838, 2022. DOI: https://doi.org/10.3389/fnut.2022.938838

DABELA, J. G.; SOEIRO, C. M. O. Avaliação do efeito dos probióticos na saúde vaginal: revisão integrativa. Rev. Científica Integrada, Manaus, v. 6, p. e202304, 2023. DOI: 10.59464/2359-4632.2023.3012. Acesso em: 24 mai. 2024. DOI: https://doi.org/10.59464/2359-4632.2023.3012

DE AQUINO, P. E.; LIMA, N. S.; LIMA, C. G. O uso de probióticos na prevenção e tratamento da candidíase vulvovaginal: uma revisão literária. Revista Multidisciplinar do Nordeste Mineiro, v. 13, n. 1, 2023. DOI: https://doi.org/10.61164/rmnm.v13i1.1920

FALAGAS, M. E.; BETSI, G. I.; ATHANASIOU, S. Probiotics for the treatment of women with bacterial vaginosis. Clinical Microbiology and Infection, v. 13, n. 7, p. 657–664, 1 jul. 2007. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1469-0691.2007.01688.x

FARIA, C. G. L. B. Probióticos na manutenção da saúde vaginal. 2023. 41 p. Dissertação (Mestrado Integrado em Medicina) – Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Universidade do Porto, Porto, 2023.

GALLO, G. E.; FABIÃO, C. D. Prevalência de Vaginose Bacteriana em Mulheres Sexualmente Ativas Atendidas em Unidade Básica de Saúde de Pelotas, RS. Ensaios Cienc., Cienc. Biol. Agrar. Saúde, v. 20, n. 3, p. 172-174, 2016. DOI: 10.17921/1415-6938.2016v20n3p172-174. Acesso em: 24 mai. 2024.

JEPSEN, I. E.; SAXTORPH, M. H.; ENGLUND, A. L. M.; Petersen, K. B.; WISSING, M. L. M.; Hviid, T. V. F. et al. Probiotic treatment with specific lactobacilli does not improve an unfavorable vaginal microbiota prior to fertility treatment: a randomized, double-blinded, placebo-controlled trial. Front. Endocrinol., v. 13, p. 1057022, 2022. DOI: https://doi.org/10.3389/fendo.2022.1057022

MCMILLAN, A.; RULISA, S.; GLOOR, G. B.; MACKLAIM, J. M.; SUMARAH, M.; GREGOR, R. Pilot assessment of probiotics for pregnant women in Rwanda. PLoS One, v. 13, n. 6, p. e0195081, 2018. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0195081

MEI, Z.; LI, D. The role of probiotics in vaginal health. Front. Cell. Infect. Microbiol., Roma, v. 12, p. e963868, 2022. DOI: 10.3389/fcimb.2022.963868. Acesso em: 24 mai. 2024. DOI: https://doi.org/10.3389/fcimb.2022.963868

NERY, F. S. A importância da microbiota vaginal para saúde feminina: um panorama do conhecimento da comunidade da FUP. 2018. 41 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Naturais) – Faculdade UnB Planaltina, Planaltina, 2018.

PALUDO, R. M.; MARIN, D. Relação entre candidíase de repetição, disbiose intestinal e suplementação com probióticos: uma revisão. Revista Destaques Acadêmicos, v. 10, n. 3, 2018. DOI: https://doi.org/10.22410/issn.2176-3070.v10i3a2018.1745

REID, G.; BOCKING, A. The potential for probiotics to prevent bacterial vaginosis and preterm labor. American Journal of Obstetrics and Gynecology, v. 189, n. 4, p. 1202–1208, out. 2003. DOI: https://doi.org/10.1067/S0002-9378(03)00495-2

SALVADOR, B. et al. Impactos de suplementação de probióticos na prevenção de complicações maternas durante a gestação. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, v. 37, n. especial, p. 313-327, 2021.

SENOK, A. C. et al. Probiotics for the treatment of bacterial vaginosis. Cochrane Database of Systematic Reviews, 7 out. 2009. DOI: https://doi.org/10.1002/14651858.CD006289.pub2

SOUZA, M. R. O. Infecção vaginal: Determinantes, microbiota, inflamação e sintomas. Estudo descritivo com autocoleta diária ao longo do ciclo menstrual. 2009. 264 p. Dissertação (Pós-Graduação Mestrado em Doenças Infecciosas do Núcleo de Doenças Infecciosas) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-72032009000700010

TEIXEIRA, E. H. M. Representações Sociais das Mulheres Homossexuais sobre DST: Implicações para às Práticas Preventivas. 2014. 198 p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Escola de Enfermagem Anna Nery, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

WANG, Z.; HE, Y.; ZHENG, Y. Probiotics for the Treatment of Bacterial Vaginosis: A Meta-Analysis. Int. J. Environ. Res. Public Health, v. 16, n. 20, p. 3859, 2019. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph16203859

Published

2024-07-09

How to Cite

BARONY, C. P.; HERCULANO, M. A. S.; SOUZA, V. C. R.; LIMA, D. K. F. de; SANTOS, I. M. G. dos. Uso de probióticos na prevenção de infecções vaginais: uma revisão de literatura. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 5, n. 3, p. e1707 , 2024. DOI: 10.46919/archv5n3espec-035. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1707. Acesso em: 12 jul. 2024.