Distúrbio de insônia crônica como fator de risco para Acidente Vascular Cerebral: uma revisão sistemática

Authors

  • Carlos Henrique Silva Júnior
  • Pedro de Menezes e Souza Melo Teixeira
  • Carlos Augusto Cavalcante Filho
  • Daniela Dal Piva

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv5n3espec-027

Keywords:

Acidente Vascular Cerebral, distúrbios do início e da manutenção do sono, transtornos do sono-vigília, insônia crônica, fatores de risco

Abstract

Introdução: O acidente vascular cerebral (AVC) está entre as principais causas de mortalidade global. No entanto, há fatores de risco ainda não totalmente identificados, como o transtorno de insônia crônica, cuja influência se evidencia pela íntima ligação entre a qualidade do sono e a saúde cardiovascular. Objetivo: O presente artigo tem por objetivo avaliar a associação entre distúrbio crônico de insônia e o risco de AVC em adultos, por meio de uma revisão sistemática. Materiais/sujeitos e métodos: Para a elaboração deste artigo, foram avaliados estudos publicados em inglês e português, disponíveis nas plataformas Medline, Lilacs e Scielo entre 2016 a 2022. Resultados e Discussão: Entre os artigos identificados, encontrou-se certa associação entre insônia e AVC. No entanto, foram observadas inconsistências nos critérios diagnósticos de insônia, sem respeitar a cronologia e os fatores indicados por classificações já estabelecidos. Os resultados sugerem que a insônia crônica não é um fator de risco direto para o AVC, mas, sim, atribuível a fatores diretos, como hipertensão, inflamação sistêmica e disfunção endotelial. Considerações Finais: Não existem dados suficientes para determinar que o transtorno crônico de insônia se configura como um fator de risco independente para AVC. A análise aponta para a existência de uma possível relação, sugerindo-se para estudos posteriores o uso de critérios e instrumentos padronizados. A insônia crônica, portanto, pode ser um fator modificável que, se devidamente tratado, pode ajudar a reduzir a incidência de AVC.

References

American journal of respiratory and critical care medicine. Disponível em: <https://vivo.weill.cornell.edu/display/journal27eb51c1442846cf842980abf84be0fb>. Acesso em: 4 jun. 2024.

American journal of respiratory and critical care medicine. Disponível em: <https://vivo.weill.cornell.edu/display/journal27eb51c1442846cf842980abf84be0fb>. Acesso em: 4 jun. 2024.

BARBERINO, L. et al. Distúrbios do sono e acidente vascular

CAPLAN, L. R. Intracranial branch atheromatous disease: A neglected, understudied, and underused concept. Neurology, v. 39, n. 9, p. 1246–1246, 1 set. 1989. DOI: https://doi.org/10.1212/WNL.39.9.1246

cerebral: causa ou efeito? Rev. Saúde HSI. 2016; 3 DEZ (4): 22-26. DOI: https://doi.org/10.24302/sma.v3iesp_anais.820

CHUGH, C. Acute Ischemic Stroke: Management Approach. Indian Journal of Critical Care Medicine, v. 23, n. S2, p. 140–146, 1 jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.5005/jp-journals-10071-23192

FEIGIN, V. L. et al. Global, regional, and national burden of neurological disorders, 1990–2016: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2016. The Lancet Neurology, v. 18, n. 5, p. 459–480, maio 2019.

GOLDSTEIN, L. B. et al. Guidelines for the Primary Prevention of Stroke. Stroke, v. 42, n. 2, p. 517–584, fev. 2011. DOI: https://doi.org/10.1161/STR.0b013e3181fcb238

In-text citation:

KAY-STACEY, M.; ATTARIAN, H. Advances in the management of chronic insomnia. BMJ, p. i2123, 6 jul. 2016. DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.i2123

LI, X. et al. Associations of Sleep-disordered Breathing and Insomnia with Incident Hypertension and Diabetes. The Hispanic Community Health Study/Study of Latinos. American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, v. 203, n. 3, p. 356–365, 1 fev. 2021. DOI: https://doi.org/10.1164/rccm.201912-2330OC

SILVA et al. Chronic insomnia disorder as risk factor for stroke: a systematic review. v. 80, n. 11, p. 1159–1166, 1 nov. 2022. DOI: https://doi.org/10.1055/s-0042-1755227

ZHENG, B. et al. Insomnia symptoms and risk of cardiovascular diseases among 0.5 million adults. Neurology, v. 93, n. 23, p. e2110–e2120, 6 nov. 2019. DOI: https://doi.org/10.1212/WNL.0000000000008581

Published

2024-07-09

How to Cite

SILVA JÚNIOR, C. H.; TEIXEIRA, P. de M. e S. M.; CAVALCANTE FILHO, C. A.; PIVA, D. D. Distúrbio de insônia crônica como fator de risco para Acidente Vascular Cerebral: uma revisão sistemática. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 5, n. 3, p. e1699 , 2024. DOI: 10.46919/archv5n3espec-027. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1699. Acesso em: 12 jul. 2024.