Serviços de enfermagem: certificação como diferencial estratégico

Authors

  • Lucianna Reis Novaes
  • Michel Matos de Barros
  • Fabrício dos Santos Cirino

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv4n4-012

Keywords:

enfermagem, certificação, empoderamento, comunicação interdisciplinar

Abstract

A equipe de enfermagem representa 40,6% dos profissionais do hospital, sendo a maior força de trabalho na assistência ao paciente, logo, a certificação deste serviço apoia o reposicionamento do enfermeiro, assim como o desenvolvimento da equipe, integrando-o à estratégia de alto desempenho assistencial em busca da excelência em gestão. O objetivo é demonstrar a percepção de que a Enfermagem passa por uma reestruturação de seu saber por meio das ferramentas gerenciais do Programa de Certificação por Distinção de Serviços de Enfermagem. Foram reunidas informações das avaliações em modelo digital, acompanhadas entre janeiro de 2021 e junho de 2022, em três hospitais com perfis, financiamento e complexidade diferentes. O relato de experiência se deu por meio do levantamento de informações com emprego de grupos focais com a Governança, Lideranças de Enfermagem e Enfermeiros. Identificou-se pelo desenvolvimento do programa uma maior integração da equipe assistencial com a liderança, autonomia do enfermeiro na gestão do setor e envolvimento do técnico de enfermagem na equipe multidisciplinar. Os profissionais relataram maior reconhecimento profissional, empoderamento e realização pessoal, refletindo no clima de segurança e satisfação no trabalho. A comunicação sobre o quadro do paciente com o médico melhorou, trazendo bons resultados na assistência, como por exemplo, a identificação de sinais precoces de deterioração clínica. Identificaram-se mudanças no posicionamento do enfermeiro como gestor clínico do cuidado. Conclui-se então que este Programa possibilitou observar o avanço da atuação do enfermeiro no cuidado centrado no paciente, com informações e dados que auxiliaram na tomada de decisão, favorecendo maior autonomia e atuação, alicerçado pelos princípios éticos da profissão.

References

AMORIM, Tamiris Scoz et al. Gestão do cuidado de Enfermagem para a qualidade da assistência pré-natal na Atenção Primária à Saúde. Escola Anna Nery, v. 26, 2022.

AZEVEDO, Dmyttri Kussov Lobato; DA SILVA, Crizoleide Melo Paranatinga; MAIA, Adria Leitão. O papel da gestão de enfermagem na implementação da meta de cirurgia segura: uma revisão de literatura. Research, Society and Development, v. 10, n. 14, p. e584101422711-e584101422711, 2021.

BITENCOURT, Julia Valeria de Oliveira Vargas et al. Protagonismo do enfermeiro na estruturação e gestão de uma unidade específica para COVID-19. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 29, 2020.

DE LUCA, Enrico et al. A Delphi survey of health education system and interprofessional nurse’role. Nurse Education Today, v. 99, p. 104779, 2021.

DOS SANTOS CARVALHO, Desirée; DE SOUZA, Carlos Eduardo Antoniete; DE SOUZA, Gislene Henrique. A força de trabalho e a relação de profissionais por leito dos hospitais públicos no município de Fortaleza. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, v. 10, n. 2, p. 157-179, 2021.

HORLAIT, Melissa et al. How multidisciplinary are multidisciplinary team meetings in câncer care? An observational study in oncology departments in Flanders, Belgium. Journal of multidisciplinary healthcare, p. 159-167, 2019.

IQG – Instituto Qualisa de Gestão. Manual de Padrões – Certificação por Distinção de Serviços de Enfermagem. 2022.

MACHADO, Maria Helena et al. Enfermagem em tempos de COVID-19 no Brasil: um olhar da gestão do trabalho. Enfermagem em Foco, v. 11, n. 1. ESP, 2020.

MAURITS, Erica Elisabeth Maria. Autonomy of nursing staff and the attractiveness of working in home care. 2019. Tese de Doutorado. Utrecht University.

MENEZES, Katiucha Mendes de; POMPILIO, Maurício Antonio; ANDRADE, Sônia Maria Oliveira de. A integração do cuidado: dificuldades e perspectivas. Rev. enferm. UFPE on line, p. 1052-1063, 2019.

NEVES, Teresa Margarida Almeida et al. Nurse managers’ perceptions of nurse staffing and nursing care quality: a cross‐sectional study. Journal of Nursing Management, v. 28, n. 3, p. 625-633, 2020.

OSHODI, Titilayo Olufunke et al. Registered nurses’ perceptions and experiences of autonomy: a descriptive phenomenological study. BMC nursing, v. 18, p. 1-14, 2019.

PEEBLES, Rick C. et al. Nurses’ just-in-time training for clinical deterioration: Development, implementation and evaluation. Nurse education today, v. 84, p. 104265, 2020.

PURSIO, Katja et al. Professional autonomy in nursing: An integrative review. Journal of Nursing Management, v. 29, n. 6, p. 1565-1577, 2021.

SCHORR, Vanessa et al. Passagem de plantão em um serviço hospitalar de emergência: perspectivas de uma equipe multiprofissional. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 24, p. e190119, 2020.

SOUSA, Solange Meira de. Contribuição do enfermeiro na integração dos cuidados no contexto das Doenças Crônicas não Transmissíveis. 2019.

TORRENS, Claire et al. Barriers and facilitators to the implementation of the advanced nurse practitioner role in primary care settings: a scoping review. International journal of nursing studies, v. 104, p. 103443, 2020.

Downloads

Published

2023-11-29

How to Cite

NOVAES, L. R.; DE BARROS, M. M.; CIRINO, F. dos S. Serviços de enfermagem: certificação como diferencial estratégico. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 4, n. 4, p. 1204–1212, 2023. DOI: 10.46919/archv4n4-012. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1466. Acesso em: 25 jun. 2024.