Neurociências na escola: uma estratégia extensionista na educação básica

Authors

  • Douglas da Silva Rodrigues
  • Amanda Beatriz Adriano da Silva
  • Dayane Diniz Martins
  • Lais Lucena Guerra
  • Lorena de Oliveira Tannus
  • Ivete Furtado Ribeiro Caldas

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv4n3-010

Keywords:

neurociências, função dos sentidos, ensino fundamental

Abstract

Introdução: A neurociência constitui-se como uma área importante para o processo educacional, pois está diretamente relacionada com os processos de aprendizagem. Por isso, é de fundamental importância promover e divulgar conhecimento sobre o cérebro, sua estrutura e seu funcionamento, de forma lúdica para alunos da educação básica, proporcionando uma melhor compreensão das características do cérebro humano e de diversos processos do nosso dia a dia. Metodologia: Este estudo partiu do projeto aprovado e desenvolvido no Programa de Extensão Campus Avançado, da Universidade do Estado do Pará (UEPA). Inicialmente foi desenvolvido o cronograma das atividades e a confecção dos materiais necessários para execução do projeto, além de realizar uma reunião da equipe com o coordenador da Escola. Participaram alunos do 6º ano de uma escola estadual, no período de 09 a 13 de setembro de 2019, somando um total de 70 alunos na faixa etária de 11 a 13 anos. Resultados e Discussão: Os resultados mostraram que após as atividades todos alunos apresentaram conhecimento sobre os componentes do cérebro, como o neurônio, e boa parte compreendeu que, para realizar as atividades do dia-a-dia usamos várias partes do nosso cérebro, o qual, é o “centro” do aprender e que se desenvolve através de estímulos. Conclusão: o projeto “Neurociências na Escola” ofereceu aos alunos do ensino básico noções e conceitos sobre o sistema nervoso humano, estendendo o conhecimento cientifico dos discentes da UEPA para a comunidade escolar, além das atividades lúdicas que possibilitaram associações das funções dos órgãos sensoriais como audição, gustação, olfato, visão e tato.

References

Duboc MJO. Neurociências: significado e implicações para o processo de aprendizagem. Rev. Evidência. 2011;7(7):25-32.

Filipin, G. et al. Conhecimento cientifico X Pratica extensionista: Percepção dos estudantes da graduação. Revista Eletrônica Extensão & Sociedade - PROEX/UFRN.2015;6(1): 13-22.

FILIPIN, G, E. POPNEURO: Relato de um Programa de Extensão que busca divulgar e popularizar a neurociência junto a escolares. Revista Brasileira de Extensão Universitária. v. 6, n. 2, p.87-95 jul – dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.36661/2358-0399.2015v6i2.3066

GUIMARÃES, M. N. Aprendendo neurociências na escola: uma estratégia de abordagem no ensino médio. Revista da SBEnBio, n.2, 2016.

Simões, EMS, Nogaro, A. Ética, neuroética e práticas de ensino. Rev. Bioét. 2019-jun;27(2):268-275. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-80422019272309

Thomaz, EMS. Neurociências e seus vínculos com ensino, aprendizagem e formação docente: percepções de professores e licenciandos da área de ciências da natureza [dissertação]. Porto Alegre: Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul;2018.

Downloads

Published

2023-08-28

How to Cite

RODRIGUES, D. da S.; DA SILVA, A. B. A.; MARTINS, D. D.; GUERRA, L. L.; TANNUS, L. de O.; CALDAS, I. F. R. Neurociências na escola: uma estratégia extensionista na educação básica. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 4, n. 3, p. 846–853, 2023. DOI: 10.46919/archv4n3-010. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1395. Acesso em: 14 jun. 2024.