Vulnerabilidade médica no ambiente hospitalar e ambulatorial – uma visão geral

Authors

  • Thiago de Mello Tavares
  • Gabriel Soares de Lemos
  • Régis Kuminek
  • Mirela Hoffmann Magnani
  • Isabela de Oliveira Nascimento

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv4n2-007

Keywords:

vulnerabilidade médica, saúde hospitalar, Depressão, Ansiedade, psicotrópicos

Abstract

Introdução: Risco de adquirir doenças, insalubridade no meio hospitalar, estresses causados pela pressão imposta pelo paciente e pela sociedade são algumas questões que nos trazem à tona a vulnerabilidade em que o médico é exposto durante o exercício da sua profissão. A vulnerabilidade do médico poderá ser de várias ordens, visto à posição de fragilidade que está exposto em seu cotidiano e principalmente a auto- cobrança. Ainda, o tema abordado mostra o quanto os médicos estão expostos e trabalhando sob pressão, acarretando problemas em sua vida como a depressão, ansiedade, distúrbios do sono, alteração de humor, entre outras doenças, o que faz com que muitas vezes para manter o controle emocional, recorram aos medicamentos e/ou uso de bebidas alcoólicas para amenizar a situação vivida. É sabido que alguns pacientes quando procuram atendimento médico esperam a cura e depositam toda carga e esperança no esculápio, e novamente o profissional se encontra em situação delicada, onde está vulnerável a cobrança que não depende exclusivamente do seu empenho, o que causa exaustão afetando a qualidade de vida e até mesmo os relacionamentos pessoais. Objetivo: Revisar a literatura disponível a respeito das situações que evidenciam a vulnerabilidade do médico no ambiente hospitalar, afim de expor possíveis causas e consequências, afim de colaborar para construir relações equilibradas no ambiente de trabalho ambulatorial e hospitalar. Métodos: Sendo uma revisão integrativa da literatura, de caráter exploratório e descritivo. Os dados foram extraídos a partir das plataformas digitais:  Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Google Acadêmico e Pubmed. Para o cruzamento de dados foram utilizados os descritores: Vulnerabilidade médica, saúde hospitalar, depressão médica, ansiedade médica. Todos os artigos encontrados foram submetidos à leitura minuciosa e aplicados aos critérios de seleção. Resultados: Há estudos indicando que doenças psiquiátricas em médicos, são relacionadas ao histórico psiquiátrico da família e a experiência de vida. Conclusão: Os profissionais da saúde sofrem devido os sentimentos de culpa, muitas vezes por fracassar e estar presentes na existência de uma onipotência, combinado a auto- cobrança, há o surgimento de quadros de ansiedade, depressão, e algumas vezes ideações suicidas.

References

AASLAND OG, HERN E, HALDORSEN T, EKEBERG O. Mortality among Norvergian doctors 1960-2000. BMC Public Health 11:173, 2011. DOI: https://doi.org/10.1186/1471-2458-11-173

ARCANJO HR, SILVA AC, MIRANDA PSC, PINHEIRO TMM. Estudo da morbi-mortalidade entre médicos da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. Considerações especiais sobre o suicido neste grupo de trabalhadores. Rev Med Minas Gerais 2000; 10:72-7.

CARVALHO, E.F. de. et al. Perfil de dispensação e estratégias para uso racional de psicotrópicos. 45f. Monografia (Linhas de Cuidado em Enfermagem) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Código de ética médica: Resolução CFM no 1.931/09. Brasília: CFM; 2009.

DONABEDIAN, Avedis. Explorations in quality assessment and monitoring. Ann Arbor: Health Administration Press,1980. V. I: The definition of quality and approaches to its assessment.

FÁVERO, VIVIANE ROSSET; SATO, MARCELO DEL OLMO; SANTIAGO, RONISE MARTINS. Uso de ansiolíticos: abuso ou necessidade?. Visão Acadêmica, [S.l.], v. 18, n. 4, feb. 2018. ISSN 1518-8361. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/academica/article/view/57820>. doi: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v18i4.57820. DOI: https://doi.org/10.5380/acd.v18i4.57820

FIRTH-COZENS J. Emotional distress in junior house officers. Br Med J 1987; 295: 533-6. Disponível em: https://doi.org/10.1136/bmj.295.6597.533 . Acesso em: 14 de junho 2020. DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.295.6597.533

FIGUEIREDO, A.C.D. de. Consumo e gastos com psicotrópicos no Sistema Único de Saúde no estado de Minas Gerais: análise de 2011 a 2013. 63f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

FRANÇOSO, GUILHERME CASTRO. In Comportamento Humano na Organização: Emoções Tóxicas. In: www.rhcentral.com.br/artigo. Acesso em 07/03/2011.

GOLDMAN, L.; AUSIELLO, D. Cecil: Medicina. 24. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

SÁ JUNIOR, L.S.M. Uma introdução à Medicina – volume 1: O médico. Brasília: Conselho Federal de Medicina, 2013.

LAURENTI, R; MELLO JORGE, MHP; LEBRÃO, ML & GOTLIEB, SL. Estatísticas de Saúde. 2ª edição. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária LTDA., 2005.

NUNES, B.S.; BASTOS, F.M. Efeitos colaterais atribuídos ao uso indevido e prolongado de benzodiazepínicos. Saúde e ciência em ação, v.3, n.1, p.71-82, 2016.

KOVÁCS, M. J., Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1992.

RAMOS, Isadora Nunes Barbosa; FALCAO, Eliane Brígida Morais. Suicídio: um tema pouco conhecido na formação médica. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro, v. 35, n. 4, p. 507-516, Dec. 2011. Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022011000400010&lng=en&nrm=iso>. https://doi.org/10.1590/S0100-55022011000400010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022011000400010

SMITH JW, DENNY WF, WITZKE DB. Emotional impairment in internal medicine house staff. Results of a national survey. JAMA. 1986;255(9):1155‐1158. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/3945035/. DOI: https://doi.org/10.1001/jama.255.9.1155

WARING EM. Psychiatric illness in physicians: a review. Compr Psychiatry. 1974;15(6):519‐530. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/4609685/. DOI: https://doi.org/10.1016/0010-440X(74)90007-8

Downloads

Published

2023-05-25

How to Cite

TAVARES, T. de M.; DE LEMOS, G. S.; KUMINEK, R.; MAGNANI, M. H.; NASCIMENTO, I. de O. Vulnerabilidade médica no ambiente hospitalar e ambulatorial – uma visão geral. Journal Archives of Health, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 423–430, 2023. DOI: 10.46919/archv4n2-007. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1329. Acesso em: 19 may. 2024.