Avaliação do fator de correção de hortaliças em uma unidade de alimentação e nutrição

Authors

  • Tatiana Evangelista da Silva Rocha
  • Tauane Vechiato
  • Sandra Maria Rosa de Aguiar

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv4n2-001

Abstract

Introdução: A alimentação é uma necessidade básica aos indivíduos, possui relação direta com a saúde. Em uma Unidade de Alimentação e Nutrição o desperdício é um fator importante a ser considerado e é sinônimo de falta de organização, consciência ambiental e social. O fator de correção, é uma ferramenta utilizada para verificar o desperdício, sendo uma constante para cada alimento. Objetivo: Avaliar o fator de correção de hortaliças da salada crua em uma unidade de alimentação e nutrição. Metodologia: A pesquisa foi desenvolvida em um Restaurante Universitário. Foi utilizado apenas as saladas que eram servidas cruas, pois não possuíam fator de correção. As hortaliças foram analisadas em quatro dias não consecutivos. Os vegetais avaliados foram: Acelga (um dia), Alface (três dias), Cenoura (dois dias), Couve manteiga (dois dias), Pepino (dois dias), Repolho (dois dias), Tomate (quatro dias). Os alimentos foram pesados em balança mecânica industrial, com peso máximo de 300 Kg. Para a determinação do Fator de Correção (FC) foi utilizada a fórmula (FC= Peso Bruto/Peso Líquido). Após a coleta de dados foi realizado a comparação com a literatura. Resultados e Discussão: Acelga estava presente uma vez no cardápio, as demais apareceram pelo menos duas vezes durante os dias analisados. A acelga apresentou fator de correção superior a literatura, igual a alface e o repolho, as mesmas se encontravam em grande quantidade na unidade, além do fornecedor entregar as hortaliças com características inapropriadas para consumo. Cenoura, couve e pepino apresentaram fatores de correção próximos com a literatura e o tomate obteve fator de correção abaixo da literatura. Conclusão: Algumas hortaliças apresentaram fator de correção superior quando comparado com a literatura, indicando desperdícios de alimentos que pode estar relacionado ao pré-preparo, assim como pelas condições de recebimento e armazenamento na unidade.

References

ABREU, E.S.; SPINELLI, M.G.N.; ZANARDI, A.M.P. Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição: um modo de fazer. São Paulo: Metha, 2003.

CASTRO, M.H.C.A. Fatores Determinantes de Desperdício de Alimentos no Brasil: Diagnóstico da Situação. Monografia (Especialização em Gestão de Qualidade em Serviços de Alimentação). 2002.

HIRSCHBRUCH, M.D. Unidades de Alimentação e Nutrição: Desperdício de Alimentos x Qualidade da Produção. Higiene alimentar, v. 12, n. 55, p.12-14, 1998.

ORNELLAS, L.H. Técnica dietética – seleção e preparo de alimentos. 5 ed. São Paulo: Atheneu, 1988.

PHILIPPI, S.T. Nutrição e Técnica Dietética. 2°Ed. São Paulo: Manole, 2006.

PROENÇA, R.P.C.; et al. Qualidade Nutricional e Sensorial na Produção de Refeições. Revista Nutrição em Pauta. v. 13, n. 75, p. 4-16, Nov/Dez, 2005.

RICARTE, M.P.R.; et al. Avaliação do Desperdício de Alimentos em Uma Unidade de Alimentação e Nutrição Institucional em Fortaleza – CE. Saber Científico. v. 1, n. 1, p. 158-175, 2008.

SILVA, S.M.C.S.; BERNARDES, S.M. Cardápio – guia prático para a elaboração. São Paulo: Atheneu, 2001.

ZANDONADI, R.P. Atitudes de Risco do Consumidor em Restaurantes de Auto-Serviço. Rev. Nutr. v. 20, n. 1, p. 19-26, Jan/Fev, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-52732007000100002

Downloads

Published

2023-04-24

How to Cite

ROCHA, T. E. da S.; VECHIATO, T.; DE AGUIAR, S. M. R. Avaliação do fator de correção de hortaliças em uma unidade de alimentação e nutrição . Journal Archives of Health, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 365–371, 2023. DOI: 10.46919/archv4n2-001. Disponível em: https://ojs.latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/1319. Acesso em: 23 feb. 2024.